FRETE GRÁTIS para São Paulo no mês de abril

Escala pantone: o que é, conceitos e aplicações

A escala Pantone é muito conhecida e utilizada no mundo inteiro. Ela consiste em números e letras para identificar a cor e o tipo de material que será impresso.Dessa forma, garante padronização da impressão , da cor, evitando problemas de designer gráfico. 

Mas você sabia que pantone não é o nome de uma marca de tinta, como muitos pensam, e , sim, de uma empresa? Por que, então, o nome virou sinônimo de cor?

 Essa e outras questões, como o modo correto de aplicação dessa escala, você vai descobrir a partir deste conteúdo que preparamos. Portanto, continue a leitura e entenda mais sobre o tema!

O que é a escala pantone?

A escala pantone é um sistema de combinação, comunicação e identificação de cores, desenvolvida no início da década de 1960 pela empresa Pantone. Inc, com sede na cidade de Nova Jersey. 

A empresa é reconhecida mundialmente por ser referência tecnológica no mercado das cores. E no início da década de 1960 criou esse modelo de escala, com a intenção de sanar eventuais problemas de precisão nas combinações de cores na indústria das artes gráficas, na época considerado inovador. 

Lawrence Herbert, o dono da empresa, acreditava que cada pessoa interpreta as cores de maneira distinta. Partindo desse princípio, o modelo de escala desenvolvido era como se fosse um manual que sinalizava as cores padrão por meio de respectivas numerações. Isso eliminava a ideia de subjetividade, garantindo a uniformidade nos materiais impressos. 

A escala pantone é muito utilizada, pois possibilita a impressão de cores que o modelo CMYK não consegue formar, como as combinações que formam os tons fluorescentes e metalizados. Sendo assim, com a escala pantone é possível imprimir tonalidades únicas, levando maior fidelidade nas impressões. 

Por isso, não é à toa que grande parte das companhias utilizam a escala Pantone para a produção de embalagens e caixas personalizadas dos produtos, além de outros tantos projetos de design. 

Os códigos da escala Pantone

Como dissemos, a escala Pantone é formada por números e letras que indicam as tonalidades das cores. Vamos, então, entender como funciona esse código. Acompanhe!

O primeiro ponto a ser entendido, é que o código da escala possui em média três ou quatro números e uma letra. Os números representam as cores, já as letras o tipo de papel que foi utilizado na impressão. Para ficar mais claro, veja o exemplo prático a seguir.

Vamos pensar que o rosa 190 tem três variações:

  • 190: o C (Coated, que significa revestido em português), quer dizer que a impressão foi feita em um papel que possui um revestimento especial, como é o machê. 
  • 190: o U (Uncoated, não revestido em português), significa que o papel usado não tem revestimento, como é o caso do papel comum. 
  • 190: o M (Matte, fosco traduzido para o português), quer dizer que o tipo de papel usado na impressão é no estilo fosco. 

O código da escala Pantone fornece detalhes importantes, que fazem toda a diferença no resultado da impressão. 

Situações em que a escala Pantone pode ou não ser utilizada

várias tabelas pantone na mesa e homem com um lápis na mão, apontando pra uma cor da tabela

Agora que você já sabe o que é a escala Pantone e como o sistema de códigos funciona, saiba em quais situações esse modelo de escala pode ser utilizado e as circunstâncias que seu uso é inapropriado. 

A escala Pantone pode ser usada quando:

  • For necessário trabalhar com cores especiais, que o modelo CMYK não consegue desenvolver;
  • Se tratar da utilização de cores em tons metalizados ou fluorescentes;
  • A identidade visual de alguma marca precisa manter o padrão de cores

A escala Pantone não deve ser usada quando:

  • Houver a necessidade de imprimir fotos coloridas. Nesse caso é obrigatório utilizar CMYK, pois a Pantone é usada para referenciar apenas uma cor.
  • Quando a impressão for digital. As cores terão que ser convertidas para CMYK

Aplicação da escala Pantone em embalagens

De um tempo para cá, as embalagens estão cada vez mais criativas e atraentes. As empresas passaram a dar bastante atenção para os pacotes de seus produtos, pois atualmente é uma forma de estratégia de marketing e atração de clientes. Sendo assim, as embalagens se tornaram um dos principais produtos nas gráficas que mais se baseiam na escala Pantone. 

Entretanto, aplicar as cores requer estudo aprofundado sobre a marca, a seleção e combinação de cores para serem utilizadas. Não basta escolher as cores da tabela e simplesmente colocar no projeto de uma embalagem criativa e personalizada.

A escala Pantone é identificada como uma tabela com cores diretas, garantindo um padrão quando são utilizadas em algum projeto gráfico. Por isso, é fundamental analisar o projeto e entender se é válido utilizar a escala na atual circunstância.

Assim como explicamos em tópicos anteriores, os profissionais do setor devem usar a Pantone em embalagens somente nos casos em que precisam ou querem trabalhar com cores especiais que o sistema CMYK não é capaz de fornecer, com o objetivo de manter o padrão já estabelecido. 

Entre em contato com a Fraspaper

Está procurando uma empresa referência no mercado para desenvolver suas embalagens com excelência? Então você está no lugar certo. A Fraspaper é consolidada e desenvolve caixa e embalagens com materiais totalmente recicláveis, na dimensão, formato, espessura e resistência que atendem as necessidades dos clientes. 

Nossas caixas e embalagens são criativas, personalizadas, proporcionando uma experiência diferenciada aos consumidores. Produzimos embalagens com ou sem acabamento diferenciado, caixas com corte vinco, tendo ou não impressão. Tudo isso utilizando a mais moderna tecnologia. 

Entre em contato conosco, fale com um de nossos atendentes e conheça mais as nossas soluções para o seu negócio. 

BLOG FRASPAPER